terça-feira, 12 de maio de 2009

Sentimento oco

É como roubar água na peneira
Roubastes meu coração, senhor
Ora, devolva-me agora, de qualquer maneira!
Choro, choro esse tom de voz perdida
Hoje, sem parte de mim já não canto
Canto um timbre, uma voz escondida.

Por que roubas meu coração, senhor?

Pois devolva-me, por favor
De que te inspira mágoa tanta,
Se o que vigora é meu pavor?
E vivendo numa infinita garoa
A cada dia me pareço mais perdida...
Senhor, tu mereces uma coroa!

Um comentário:

  1. Ganhastes um leitor assíduo, já que gostei dos seus textos.

    ResponderExcluir